Connect with us

Televisão

Orphan Black (5ª Temporada) – A Despedida das “Sestras”

Published

on

Quando Orphan Black estreou, em 2013, ninguém esperava que a série fosse ter tanta repercussão quanto teve. As séries que envolvem ficção científica têm seu público fiel, mas, normalmente, não ganham tanta atenção do público geral ou da crítica. E se tratando de uma série da BBC America, que não é um canal muito grande nos EUA, as chances de ter o sucesso que teve eram ínfimas. Porém, não se contava o fator Tatiana Maslany. A atriz, antes desconhecida do público, brilhou ao dar vida às clones Sarah, Cosima, Alison e Helena na primeira temporada e isso lhe rendeu vários prêmios e indicações. Assim a série acabou chamando atenção e conquistando seu público fervoroso denominado Clone Club. Durante cinco anos acompanhamos a saga de Sarah e suas “sestras”, mas é chegada a hora de nos despedirmos dessa série que deixou seu marco na televisão norte-americana.

orphan-black-season-5

A 5ª temporada começa exatamente do ponto onde a anterior terminou, mas há uma grande quebra de ritmo. Os dois primeiros episódios servem como uma introdução a ilha e a figura de P.T. Westmorland (Stephen McHattie). A princípio, tudo parece meio cansativo. A história só começa a engrenar a partir de seu quarto e quinto episódio, que é onde conseguimos a maioria das informações relacionadas ao plot do DYAD, do neolution. E a resolução desse assunto, é feita de maneira muito rápida e simples nos episódios sete e oito, dois episódios antes do final da temporada.

Isso se dá, porque, mesmo tendo o enredo todo trabalhado no campo da ciência, o foco maior dessa temporada foi o desenvolvimento das personagens. Pode se observar que os produtores optaram por centralizar a história em um personagem a cada episódio, dando a cada clone sua chance de brilhar. Assim, aliviando Maslany do peso de interpretar muitos personagens envolvidos numa mesma trama e dando a atriz mais espaço para atuações individuais.

orphan-black-season-5

Dessa forma, pode-se dizer que a temporada final de Orphan Black foi mediana em relação ao enredo principal da série, a parte científica. Porém, para os que não ligam para a ciência e são apegados aos personagens, a temporada teve muito a se aproveitar. Foram vários flashbacks, que, além de aprofundar um pouco mais os personagens em questão, trouxeram de volta personagens que já haviam se despedido da série como Aynsley (Natalie Lisinska), Leekie (Matt Frewer) e Tomas (Daniel Kash). Além disso, durante a temporada, também houve o retorno de Mark (Ari Millen) e Grace (Zoé de Grand Maison), que andavam sumidos há um tempo.

Em seu episódio final, a série seguiu um pouco o estilo final de novela, optando por resolver todos os principais conflitos nos primeiros 20 minutos e dispondo de todo o resto do tempo para finalizar a história de seus personagens. Esse episódio foi uma pequena homenagem aos fãs e a tudo que a série percorreu até aqui. Eles levaram a expressão “sonho que se torna realidade” a sério e finalizaram da melhor maneira possível. Teve a tradicional cena das quatro clones principais reunidas; a revelação da quantidade de clones espalhados pelo mundo (274, 14 deles no Brasil); o nascimento dos bebês da Helena e de talvez um possível casal [Art (Kevin Hanchard) + Helena = Artena? Arlena?]; e referência a uma das maiores questões dos espectadores da série: “Por que o nome Orphan Black?”.

orphan-black-season-5

Orphan Black se despediu, deixando para trás um grande legado. Pode não ter sido uma série perfeita, mas soube trabalhar seus pontos mais fortes e proporcionar ao público essa incrível jornada de cinco anos. Com certeza vai deixar uma enorme saudade.

Você pode assistir a Review em nosso canal no Youtube. Clique Aqui!

 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Pocah já confundiu produtor musical com seu ex-marido

Published

on

Um fato inusitado foi contado através das redes sociais por um dos maiores produtores de funk do país envolvendo o nome da Pocah que está confinada no BBB 21. Juninho Love contou através das redes sociais que a cantora lhe confundiu com o seu ex-marido e empresário Mc Roba cena com quem foi casada por 3 anos.

O fato aconteceu em 2014, “Eu tava numa casa em São Gonçalo, na gravação do dvd do Nego do Borel e a Pocah me confundiu com ele, ela achava que eu era o Robacena. E outra vez eu cheguei no camarim também e a galera me confundiu também achando que eu era o Robacena. Tô deixando a barba crescer pra galera não confundi mais a gente” revela Juninho.

Hoje a cantora está casada com Ronan Souza, mas na época chegou a revelar que se separou do pai da sua filha Vitória, hoje com 5 anos de idade por causa de uma traição por parte dele. 

Assista:

https://www.instagram.com/p/CNCuoOygEbu/?utm_source=ig_web_copy_link

Continue Reading

Televisão

Em conversa com o jornalista Thiago Araújo, Ariadna alfineta participante do BBB e internaustas especulam que seja a Pocah

Published

on

Primeira e única transsexual a participar do Big Brother Brasil, Ariadna Arantes agitou a web com um bate-papo revelador, e cheio de emoções, com o jornalista, DJ, Produtor de eventos e CEO do site Pheeno, Thiago Araújo. A ex-sister usou o canal de Thiago para fazer um balanço sobre os participantes LGBTs da atual edição do programa. “Pode parecer um pouco tosco o que eu vou falar, mas não me levem a mal! Muita gente hoje em dia fala de bixessualidade para querer um pouco abraçar a nossa bandeira.”, ressaltou Ariadna deixando claro que estava se referindo a uma participante específica. “Quem é a pessoa que eu não gosto que diz que é bi e nunca foi vista com uma mulher?”, chegou a brincar em tom de suspense.

A conversa foi ao ar dentro do programa “Estúdio Pheeno”, e também contou com uma explicação mais detalhado de Ariadna, sobre sua opinião em relação a participante, que a internet especula que seja a funkeira Pocah. “Todo mundo quer estar um pouco engajado. Mas na prática mesmo, você acha que é? Porque eu vejo tanta gente falando eu sou bi, mas nunca assumiu um relacionamento com outra mulher, com outro homem. Então é muito fácil hoje em dia as pessoas quererem abraçar essa causa, e no entanto só fala da boa para fora. Como muitas pessoas que tem aqui no Brasil que falam, mas a gente nunca viu. Não que tenha que provar, mas tem coisas que são óbvias né gente. Pelo amor de Deus”, pontuou.

E continuou: “Vou te dar um exemplo, não que seja bissexual, mas o Rodolfo falou lá dentro falou que era homofóbico e que através da Rafa Kaliman, ele deixou isso de lado. Viu o comentário que ele fez com o Fiuk? Você acha que realmente esse rapaz não é homofóbico? É claro que ele é. Só que a todo tempo ele vai tentar abraçar, porque é muito mais fácil você dizer que abraça para ter o apoio do público, do que você assumir que não gosta. Isso acontece. É muito fácil você pegar um microfone no meio de um bloco de carnaval e dizer que é bissexual, dar um estalinho numa amiguinha e tentar convencer as pessoas de que aquilo é verdade. Que todo mundo sabe que não é.”, explicou Ariadna, afirmando que apesar de alguns erros que cometeu, nesta edição se identifica muito com o Gil.

A eliminação na primeira semana do jogo

Ainda sobre o BBB, Ariadne Arantes também aproveitou a ocasião para contar o motivo que a fez não querer abrir sobre sua identidade de gênero e a cirurgia de troca de sexo dentro da casa, durante sua participação. “Acho que o Brasil não estava preparado. As pessoas não entendem. Eu fiz uma cirurgia muito séria, que muda a vida de um pessoa. E dentro do Big Brother, na primeira semana, eu me abri para algumas pessoas mais próximas. Mas isso não significa que eu era obrigada a abrir para todos, porque isso é uma coisa que preciso me sentir segura e confortável de compartilhar. Émuito chato: ‘Você fez a cirurgia, ah mas você tem orgasmo?’, ‘você tem sensibilidade?’, ‘mas entra?’, ‘Tem Buraco?’… perguntam essas coisas. Eu já tinha três anos de operada, escutando tudo isso. Já sabia que ia ter que enfrentar todas essas perguntas quando saísse, e ainda ter que passar lá dentro também? Cansaço né!”, confessou.

Preconceito pós-BBB

Ainda nesta pegada das cobranças, Ariadna também não deixou de falar sobre os preconceitos vividos após sua participação na 11ª edição do programa. “Hoje em dia já não existe mais o preconceito com o “ser ex-BBB”, porque entraram pessoas midiáticas, fortes como influenciadores. Então hoje em dia eles são ex-BBBs. Eu não sei se eles gostam muito, mas são. Não tem como negar. Mas antigamente era um preconceito muito grande. Então você imagina eu, a primeira mulher que passou pela transição, na minha condição, que estava ali participando de um programa, preta e ainda ex-BBB? Nossa!” destacou a moça, que apesar disso, se declara grata à visibilidade que ganhou depois do jogo. “Tudo meu, nessa parte midiática foi fruto do Big Brother. Então se hoje em dia eu consigo me manter, as minhas conquistas, graças à Deus, é por conta do BBB”, concluiu.
O quadro com a entrevista faz parte do canal “Pheeno TV”, que tem como principal objetivo a produção de conteúdo que destaque e valorize a cultura LGBTQIA+.

Foto: Divulgação

Continue Reading

Televisão

Cantor comemora sucesso profissional com ex-esposa do jogador Hulk

Published

on

Marquinhos Navais participou no último domingo (21) do programa Eliana. Além de contar sua história de vida, o jovem de 19 anos de idade colaborou com uma linda homenagem ao cantor Tierry.

Nas redes sociais Marquinhos Navais agradeceu o carinho dos fãs. Entre tantas, uma fã mais do que especial do cantor, a empresária Iran Angelo, ex-esposa do jogador Hulk fez um post de comemoração ao lado do pernambucano na janela de seu apartamento de luxo em São Paulo, “Comemorando o sucesso do Marquinhos Navais” escreveu a loira.

Veja:

https://www.instagram.com/stories/iran_angelo/2534598192698548886/

Continue Reading

Trending

Copyright © 2017 Geração Z. Theme by Mega Group. powered by Rafael Nascimento.

Close Bitnami banner
Bitnami