Connect with us

Games

Level Up 007 fala sobre carreira e dá dicas para subir cap

Published

on

Samuel “Level Up 007” Lima é uma das personalidades de Free Fire Battlegrounds mais influentes do Brasil. O jogador, que coleciona milhões de seguidores no Instagram e YouTube, acaba de ser contratado como pro player do Corinthians. O Timão anunciou sua equipe para competir pelo jogo da Garena nesta terça-feira (8). Além de vestir a camisa do clube paulista, Level Up fez parte da Seleção Brasileira que venceu o Streamers Showdown, primeiro torneio internacional do modo Contra Squad.

A disputa aconteceu no fim de setembro em Bangkok, na Tailândia, e o TechTudo foi até o país acompanhar o campeonato. Em entrevista, Level Up contou um pouco sobre a sua trajetória e deu dicas para quem quer ir bem na ranqueada e subir capa no Free Fire.

Dicas para jogar, ir bem na ranqueada e subir capa
Level Up deu algumas dicas certeiras para quem quer melhorar no Free Fire. O primeiro aspecto apontado pelo jogador foi sobre celulares. Free Fire é um game mobile disponível para download grátis no Android e iPhone (iOS) e um dos seus maiores diferenciais é a promessa de rodar até nos aparelhos de entrada. “Dá pra treinar sim em um celular mais básico”, destaca o jogador.

“Claro que o desempenho do jogo no celular mais básico não vai ser o mesmo do celular top de linha, mas é possível sim”. Segundo o Level Up, alguns truques podem ajudar quem tem um smartphone mais básico. “Passe um antivírus, exclua algumas fotos, deixe o celular com menos aplicativos instalados. Isso vai fazer ele travar menos. Outra dica é aumentar a DPI do celular, que é algo que o Android costuma fazer”, aconselha.

Já para atuar nas ranqueadas e pegar o sonhado mestre, o jogador defende que é importante que o player encontre o seu estilo de jogo. “Por exemplo, o meu estilo de jogo é o rushadão. Eu saio matando todo mundo para ganhar o BOOYAH, fazendo uma pontuação de qualidade. Mas quando você está começando é melhor ir com mais calma, porque ao jogar dessa forma mais agressiva você se expõe muito e pode acabar encontrando um oponente mais experiente”, explica.

Para finalizar, o jogador deu conselhos para quem quer subir capa. “O primeiro passo é deixar a sensibilidade no 100. Depois, o jogador deve mirar no meio do personagem oponente, para poder arrastar a mira para cima e conseguir dar o tiro na cabeça. Depois disso é só amassar os adversários”, conclui Level Up.

Perfil e carreira
Level Up é um baiano natural de Salvador. Com sotaque manso, o jogador é super vaidoso: sempre abre a câmera frontal do celular para conferir se o visual está “ok”. Samuel tem 18 anos e foi o atleta mais novo da Seleção Brasileira no Streamer Showdown. Mas apesar da pouca idade, o jogador é focado, principalmente quando o assunto é trabalho. “Parem de rir, gente. Vamos fazer essas fotos logo”, disse em tom sério aos companheiros de equipe nos bastidores do torneio.

A trajetória de Level Up no Free Fire é recente, ele começou a jogar o game mobile há um ano e cinco meses. Já os treinos para entrar no competitivo foram iniciados um ano e dois meses atrás. “Eu treinava muitas horas, às vezes 14 horas por dia. Eu jogava 1×4 sempre, na ranqueada mesmo. Ganhava ponto, perdia ponto, até alcançar uma melhoria. Eu pensava que isso poderia me dar um futuro”.

E deu. O baiano já é campeão mundial, veste a camisa do Corinthians e tem uma legião de fãs que adoram fazer o “L”, de “Level Up Lindão”, como ele diz. Mas o jogador destaca que nada disso foi fácil. “Eu comecei a streamar depois que peguei 400 mil inscritos no YouTube. A estreia é um pouco complicada, você não tem uma audiência muito alta no início. Também teve uma época que muita gente me hateava. Em alguns momentos eu fiquei muito triste por isso, mas passou. Eu dei a volta por cima, fui melhorando e logo as pessoas que me criticavam começaram a me elogiar também”, conta.

O maior desafio para chegar até aqui, no entanto, foi a sua família. “Eles não me apoiavam. Eu escutava deles que eu não servia para nada, que era um inútil, que o jogo não ia me dar futuro nenhum”, desabafa. Para driblar os problemas, Level Up decidiu sair de casa. “Eu tive que amadurecer rapidamente, aprender a me cuidar, viver sozinho, trabalhar e focar no meu sonho”. Hoje Level Up vive de jogar Free Fire e dá conselhos para quem sonha em seguir essa carreira. “Se você quer ser alguma no competitivo, precisa treinar. Você não pode pensar que o cara tem dinheiro pode comprar qualquer coisa. Porque a sua dedicação e habilidade, isso ninguém compra”, destaca.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Games

Hidetaka Miyazaki, diretor de Sekiro: Shadows Die Twice estará na BGS 2019

Published

on

Lançado em 22 de março deste ano, Sekiro: Shadows Die Twice foi um dos games mais aguardados do início de 2019. Em apenas 10 dias, vendeu mais de 2 milhões de cópias, além de ser o mais assistido na Twitch no dia do lançamento. Para a alegria dos fãs, o diretor do jogo, Hidetaka Miyazaki, desembarca pela primeira vez no Brasil para participar da 12ª edição da BGS, que será realizada entre 9 e 13 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo.


Miyazaki estará na Brasil Game Show 2019 em 9 e 10 de outubro, participará da cerimônia de abertura e de um exclusivo meet & greet para apenas 30 fãs. O criador de Armored Core 4 (seu primeiro trabalho na From Software) e Armored Core for Answer, diretor de Demon’s Souls, Dark Souls, Bloodborne, Dark Souls III, Déraciné e do recém-lançado Sekiro: Shadows Die Twice, também deixará suas mãos gravadas no Wall of Fame e receberá o prêmio Lifetime Achievement Award, honraria já concedida pela BGS a personalidades como Hideo Kojima, diretor da série Metal Gear; Nolan Bushnell, criador do Atari; Cory Barlog, diretor criativo de God of War; Ed Boon, cocriador de Mortal Kombat; Fumito Ueda, de Shadow of the Colossus; Phil Spencer; chefe de Xbox; Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter, e Katsuhiro Harada, diretor de Tekken.

“A história de Miyazaki é inspiradora e seu legado para a indústria de games é indiscutível. Aos 29 anos, sem experiência na área, ele provou que não há idade para lutar por um sonho e, desde então, vem criando jogos sensacionais. Sua forma de contar histórias e seu foco na jogabilidade e mais na habilidade do jogador do que nos atributos dos personagens fazem com que suas criações sejam uma referência de games extremamente desafiadores”, analisa Marcelo Tavares, CEO e fundador da Brasil Game Show, fã confesso do trabalho de Miyazaki.

Além de Miyazaki, a maior feira de games da América Latina também já confirmou a participação de John Romero, criador de DOOM; Charles Martinet, dublador de Mario, icônico personagem da Nintendo, e Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra, que, pela primeira vez, trará sua banda para o Brasil.

Para mais informações sobre a Brasil Game Show, acesse: www.brasilgameshow.com.br

Continue Reading

Games

CS:GO: FalleN arrecadou doações para vítimas de Brumadinho em stream

Published

on

Considerado por muitos um dos maiores nomes do cenário do eSports brasileiro, Gabriel “FalleN” Toledo realizou uma stream na Twitch durante a noite deste último domingo (27) e a madrugada desta segunda-feira (28), arrecadando recursos para as vítimas da cidade de Brumadinho, Minas Gerais.

Com uma meta inicial estipulada para a live de R$ 2 mil, ao final, o valor arrecadado superava os R$ 24 mil. Logo após o término da live, o criador de PlayerUnknown’s Battlegrounds, Brendan Greene, decidiu fazer a sua doação após saber da iniciativa do brasileiro. Greene doou cerca de US$ 2 mil, cerca de R$ 7,5 mil.

Com esta doação de Greene, FalleN conseguiu arrecadar mais de R$ 33 mil. O brasileiro agradeceu a todos que participaram da Live e fizeram a sua doação. Além disso, ele comunicou que está pesquisando uma forma de efetuar esta doação. O valor total da doação subtraindo as taxas de cada doação pertencentes à plataforma será divulgado em breve.

Continue Reading

Coberturas

Brasil Game Show 2018, “Next Level”

Published

on

Sabe aquele jogo tão bom em um ano que quando é anunciado uma sequência, você fica pensando: “O que eles farão para melhorar essa experiência? ” e a BGS acaba tendo a árdua missão de se superar a cada como o maior evento de games da América Latina.

Dito isso, vamos falar da feira de 2018 a qual verdadeiramente alcançou o seu subtítulo de “Next Level”, vimos uma feira repleta de atrações, uma área indie contando com produtoras da América Latina e algumas que obtiveram um certo destaque no cenário mundial nos últimos anos. Mais uma vez vivenciamos o evento pelos 5 dias, testamos algumas novidades, mas infelizmente não conseguimos testar outras, onde por falar em novidades, acredito que esta tenha sido a maior feira aqui na América Latina a contar com tantos títulos que só chegam no mercado em 2019, como é o caso de Devil May Cry 5, Sekiro: Shadow Die Twice, Days Gone, The Division 2 e outros igualmente aguardados, onde o testado traremos em uma matéria futura, juntamente com os títulos indies testados no evento.

Estandes Xbox e PlayStation:

Em 2018 vimos dois estandes similares ao da BGS de 2017, o PlayStation basicamente com a mesma estrutura e apresentando menos filas nos jogos por conta do sistema do PlayStation Experience e com algumas apresentações no palco, já o Xbox trouxe assim como em 2017, só que dessa vez com um estande um pouco diferente na estrutura, continuou trazendo “festa” o tempo todo em seu estande, com novidades como algumas competições de Gears of War, por exemplo, além dos campeonatos para o público que quisesse participar, o que geraria prêmios para os vencedores, e ainda teve uma apresentação de cerca de 15 minutos de Devil May Cry 5 com comentários de um dos produtores do jogo, onde traremos mais novidades em breve.

Área indie:

Área indie dessa vez remodelada e com o nome de avenida indie, trouxe uma dinâmica interessante onde em um corredor o público conseguia olhar para os lados e via os jogos e aos que o interessassem era só parar e jogar, e para essa BGS contamos com desenvolvedoras internacionais e da América Latina, como no caso uma desenvolvedora da Argentina, e as de Layers of the Fears/Observer e de Kingdom Come: Deliverence, interessante essa abertura para que produtoras indies internacionais possam ter o contato com o público brasileiro, não é mesmo?

Além disso é claro, tivemos produtoras indies brasileiras que trouxeram diversos jogos interessantes e experenciamos alguns que traremos uma prévia muito em breve, então fiquem atentos as novidades no Portal GZ.

Como já dito, a Brasil Game Show de 2018 alcançou um “Next Level” e a tendência é o evento cada ganhar mais destaque, jogamos alguns lançamento para 2019 e que traremos uma prévia do que achamos muito em breve, então fiquem atentos e não percam as novidades 😉

Continue Reading

Trending