Connect with us

Games

Geek City 2018 – Guilherme Briggs e Kiko

Published

on

Guilherme Briggs

Responsável por vozes como a do BuzzLightyear, Freakzoid e Mickey, dublador contou um pouco sobre suas motivações profissionais e de vida

O painel “A dublagem brasileira no mundo”, com Guilherme Briggs, foi um dos mais esperados da noite deste sábado (1°), no Geek City. No palco principal, o dublador deu voz a personagens famosos como Mickey, Buzz Lightyear e Yoda, compartilhou curiosidades sobre o cenário internacional e emocionou o público com sua história de vida.

“Vocês sabiam que o Corcunda de Notre Dame, dirigido pelo Garcia Jr., foi considerada a melhor versão dublada do mundo? E que a Nova Onda do Imperador teve um impacto muito grande pra dublagem brasileira? Lá fora eles adoraram”, disse Briggs. Ele contou ainda que foi convidado para fazer a voz do Yoda também em espanhol e que ficou espantado quando viu Toy Story pela primeira vez.

“Dublo o Buzz Lightyear desde o primeiro filme e lembro de ver a primeira cena e pensar o que é isso que a Disney fez? É computação gráfica?”, disse. Entre curiosidades, aplausos e perguntas da plateia, Briggs emocionou o público ao falar sobre suas motivações pessoais. “Sempre fui apaixonado pelo meu avô. Com 12 anos, ele me chamou pra morar com ele. Meu padrasto era muito rigoroso e disse que, se eu saísse, não voltava mais. Depois de dois anos, meu avô faleceu de um problema no coração, pedi para voltar para casa e meu padrasto não deixou”, contou.

Morando de favor na casa de um amigo, Briggs decidiu que era hora de se dedicar ainda mais à leitura e ao desenho – o que foi essencial para que o Guilherme artista surgisse. “Nesse momento, com o avô falecido, não podendo voltar pra casa, foi que minha vida mudou. Para não chorar, comecei a ler tanto e desenhar tanto. Tive um trauma muito severo e podia ter escolhido as drogas. Mas o que importa não é o que a vida faz com você. É o que você faz com o que a vida faz com você. Levanta e não desiste, porque sempre tem uma esperança, pode acreditar”, concluiu.

Carlos Villagrán, o Kiko de Chaves

Painel foi feito em duas partes: na primeira, o ator foi ele mesmo; na segunda, encarou o personagem e arrancou gargalhadas da plateia

 Na tarde deste sábado (01), uma das atrações mais esperadas do Geek City 2018, produzido pela Seven Entretenimento, subiu ao palco e foi recebido sob aplausos e gritos de felicidade. Carlos Villagrán, conhecido como o Kiko, do seriado mexicano Chaves, veio a Curitiba para participar da edição do evento e, primeiramente, atendeu os jornalistas em uma coletiva de imprensa lotada e depois subiu ao palco para ser acolhido pelo público que lhe aguardava.

Mesmo não caracterizado, Villagrán não seguiu o padrão tradicional de talk show – em que o entrevistador e entrevistado ficam sentados conversando – e diferentemente disso, levantava a todo o tempo e conversava diretamente com a plateia. Além disso, ele arriscou falar português em quase todo momento numa forma de se aproximar ainda mais dos fãs.

Villagrán contou diversas histórias de sua carreira desde antes de estrear no Chaves. Uma delas tem o Brasil como destaque, já que foi repórter fotográfico durante a Copa de 1970, quando a seleção brasileira derrotou o México e conquistou o tricampeonato mundial. Provando ter uma ótima memória, ainda citou o nome de todos os jogadores que vestiram a ‘amarelinha’.

Quando decidiu mudar de profissão e entrar na série de TV, que a princípio tinha 10 minutos de duração, Villagrán teve de criar um personagem infantil, de menino, e quando encontrou apenas uma roupa de marinheiro, decidiu virar duas mechas do cabelo para cima e projetar uma nova voz. Assim nasceu o Kiko, personagem que marca gerações há quase 50 anos.

Carlos x Kiko, um paralelo de admiração

          No Brasil, o seriado começou a ser transmitido em 1984, e logo conquistou inúmeros seguidores. A música de abertura, no entanto, é diferente da original, uma versão clássica de Beethoven. Aqui, quem ouve ‘Aí vem o Chaves, Chaves, Chaves’, já sabe que a diversão garantida vai começar.

No talk do Geek City, sua presença foi marcada em duas partes: a primeira, Villagrán foi ele mesmo, atencioso e fraterno com o público; na segunda, demonstrou toda sua generosidade como personagem ao se trocar e aparecer como Kiko, satisfazendo todos que aguardavam para ver o ídolo de perto. Nesse momento, o ator encarnou o papel e passou a agir somente como o menino mexicano da Vila, criado por Dona Florinda e amigo (ou colega) de todos os visitantes ou moradores do local.

Kiko cantou canções como ‘Que Bonita a Sua Roupa’, ‘Se Você é Jovem Ainda’ e ‘Mamãe Querida’, interpretada com a ajuda do mediador, que o interrompia sempre antes de começar a recitar o poema, fazendo referência ao episódio em que a cena ocorreu. Ainda, respondeu a perguntas sobre o porquê de sempre querer uma bola quadrada, se já chegou o disco voador e de como foram as férias em Acapulco.

Para finalizar, o ator imitou seu choro peculiar, a maneira engraçada como se locomovia e a risada inconfundível. Disse, também, subjetivamente, o porquê de ter aposentado o personagem: “Deus perdoa, mas o tempo não”. Após cumprimentar fãs que foram à frente do palco para tocar em suas mãos, ‘Kiko Villágran’ deu adeus ao público de Curitiba e, sem dúvidas, satisfez a todos que se deliciaram com sua amada personalidade.

 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Games

Hidetaka Miyazaki, diretor de Sekiro: Shadows Die Twice estará na BGS 2019

Published

on

Lançado em 22 de março deste ano, Sekiro: Shadows Die Twice foi um dos games mais aguardados do início de 2019. Em apenas 10 dias, vendeu mais de 2 milhões de cópias, além de ser o mais assistido na Twitch no dia do lançamento. Para a alegria dos fãs, o diretor do jogo, Hidetaka Miyazaki, desembarca pela primeira vez no Brasil para participar da 12ª edição da BGS, que será realizada entre 9 e 13 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo.


Miyazaki estará na Brasil Game Show 2019 em 9 e 10 de outubro, participará da cerimônia de abertura e de um exclusivo meet & greet para apenas 30 fãs. O criador de Armored Core 4 (seu primeiro trabalho na From Software) e Armored Core for Answer, diretor de Demon’s Souls, Dark Souls, Bloodborne, Dark Souls III, Déraciné e do recém-lançado Sekiro: Shadows Die Twice, também deixará suas mãos gravadas no Wall of Fame e receberá o prêmio Lifetime Achievement Award, honraria já concedida pela BGS a personalidades como Hideo Kojima, diretor da série Metal Gear; Nolan Bushnell, criador do Atari; Cory Barlog, diretor criativo de God of War; Ed Boon, cocriador de Mortal Kombat; Fumito Ueda, de Shadow of the Colossus; Phil Spencer; chefe de Xbox; Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter, e Katsuhiro Harada, diretor de Tekken.

“A história de Miyazaki é inspiradora e seu legado para a indústria de games é indiscutível. Aos 29 anos, sem experiência na área, ele provou que não há idade para lutar por um sonho e, desde então, vem criando jogos sensacionais. Sua forma de contar histórias e seu foco na jogabilidade e mais na habilidade do jogador do que nos atributos dos personagens fazem com que suas criações sejam uma referência de games extremamente desafiadores”, analisa Marcelo Tavares, CEO e fundador da Brasil Game Show, fã confesso do trabalho de Miyazaki.

Além de Miyazaki, a maior feira de games da América Latina também já confirmou a participação de John Romero, criador de DOOM; Charles Martinet, dublador de Mario, icônico personagem da Nintendo, e Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra, que, pela primeira vez, trará sua banda para o Brasil.

Para mais informações sobre a Brasil Game Show, acesse: www.brasilgameshow.com.br

Continue Reading

Games

CS:GO: FalleN arrecadou doações para vítimas de Brumadinho em stream

Published

on

Considerado por muitos um dos maiores nomes do cenário do eSports brasileiro, Gabriel “FalleN” Toledo realizou uma stream na Twitch durante a noite deste último domingo (27) e a madrugada desta segunda-feira (28), arrecadando recursos para as vítimas da cidade de Brumadinho, Minas Gerais.

Com uma meta inicial estipulada para a live de R$ 2 mil, ao final, o valor arrecadado superava os R$ 24 mil. Logo após o término da live, o criador de PlayerUnknown’s Battlegrounds, Brendan Greene, decidiu fazer a sua doação após saber da iniciativa do brasileiro. Greene doou cerca de US$ 2 mil, cerca de R$ 7,5 mil.

Com esta doação de Greene, FalleN conseguiu arrecadar mais de R$ 33 mil. O brasileiro agradeceu a todos que participaram da Live e fizeram a sua doação. Além disso, ele comunicou que está pesquisando uma forma de efetuar esta doação. O valor total da doação subtraindo as taxas de cada doação pertencentes à plataforma será divulgado em breve.

Continue Reading

Coberturas

Brasil Game Show 2018, “Next Level”

Published

on

Sabe aquele jogo tão bom em um ano que quando é anunciado uma sequência, você fica pensando: “O que eles farão para melhorar essa experiência? ” e a BGS acaba tendo a árdua missão de se superar a cada como o maior evento de games da América Latina.

Dito isso, vamos falar da feira de 2018 a qual verdadeiramente alcançou o seu subtítulo de “Next Level”, vimos uma feira repleta de atrações, uma área indie contando com produtoras da América Latina e algumas que obtiveram um certo destaque no cenário mundial nos últimos anos. Mais uma vez vivenciamos o evento pelos 5 dias, testamos algumas novidades, mas infelizmente não conseguimos testar outras, onde por falar em novidades, acredito que esta tenha sido a maior feira aqui na América Latina a contar com tantos títulos que só chegam no mercado em 2019, como é o caso de Devil May Cry 5, Sekiro: Shadow Die Twice, Days Gone, The Division 2 e outros igualmente aguardados, onde o testado traremos em uma matéria futura, juntamente com os títulos indies testados no evento.

Estandes Xbox e PlayStation:

Em 2018 vimos dois estandes similares ao da BGS de 2017, o PlayStation basicamente com a mesma estrutura e apresentando menos filas nos jogos por conta do sistema do PlayStation Experience e com algumas apresentações no palco, já o Xbox trouxe assim como em 2017, só que dessa vez com um estande um pouco diferente na estrutura, continuou trazendo “festa” o tempo todo em seu estande, com novidades como algumas competições de Gears of War, por exemplo, além dos campeonatos para o público que quisesse participar, o que geraria prêmios para os vencedores, e ainda teve uma apresentação de cerca de 15 minutos de Devil May Cry 5 com comentários de um dos produtores do jogo, onde traremos mais novidades em breve.

Área indie:

Área indie dessa vez remodelada e com o nome de avenida indie, trouxe uma dinâmica interessante onde em um corredor o público conseguia olhar para os lados e via os jogos e aos que o interessassem era só parar e jogar, e para essa BGS contamos com desenvolvedoras internacionais e da América Latina, como no caso uma desenvolvedora da Argentina, e as de Layers of the Fears/Observer e de Kingdom Come: Deliverence, interessante essa abertura para que produtoras indies internacionais possam ter o contato com o público brasileiro, não é mesmo?

Além disso é claro, tivemos produtoras indies brasileiras que trouxeram diversos jogos interessantes e experenciamos alguns que traremos uma prévia muito em breve, então fiquem atentos as novidades no Portal GZ.

Como já dito, a Brasil Game Show de 2018 alcançou um “Next Level” e a tendência é o evento cada ganhar mais destaque, jogamos alguns lançamento para 2019 e que traremos uma prévia do que achamos muito em breve, então fiquem atentos e não percam as novidades 😉

Continue Reading

Trending