Connect with us

Cinema

TOP 10 – Melhores filmes de Super-Heróis.

Published

on

Eu achei que o método de apenas ficar criticando os filmes um pouco pobre, então tive a idéia de fazer algo um pouco mais descompromissado e um pouco mais divertido, tanto para mim, como para vocês. Daí surgiu à opção de fazer um “inovador” TOP 10. Caso fique legal e vocês gostem posso voltar a fazer outros futuramente.
Os critérios usados para esse ranking não são lá tão cinematográficos, é claro que levarei isso em conta, mas eu apenas listei todos os filmes de super-heróis que eu gosto e acho bem feito, depois disso os coloquei lado a lado numa folha de papel e fui ranqueando de acordo com meu gosto pessoal, meu nível de empolgação e o grau do número de vezes que eu poderia assistir a esse filme sem enjoar. Nada muito técnico, novamente frisando, eu não ignorei tais aspectos e fatores, eu apenas não os coloqueis como fator determinante para esse TOP 10.
Outro dado importante é que eu desconsiderei Animações como, por exemplo, “Os Incríveis” .E é uma lista de SUPER-HERÓIS, bons filmes baseados em histórias em quadrinhos, mas que não tem nenhum personagem sendo um super-herói não entram na minha lista, apesar de gostar muito de alguns deles, como por exemplo “V de Vingança”.

Vamos os DEZ melhores filmes de super-heróis de todos os tempos:

10 – X-MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO (2014) X-men - 10
Diretor: Bryan Singer
O filme é indiscutivelmente o melhor envolvendo o grupo de mutantes da Marvel Comics. Com uma ótima dose de coragem logo no início, esse filme tem camadas envolvendo um relacionamento amoroso, mas em momento algum perde o foco narrativo. Com cenas de ação muito boas (Como se esquecer da primeira cena do Mercúrio da Fox nos cinemas?) e um roteiro bem estruturado com todo o Universo cinematográfico dos X-men, esse é o nosso décimo lugar da lista.

9 – WATCHMEN (2009)watch
Diretor: Zack Snyder
Muito provavelmente temos aqui a melhor direção de Zack Snyder, o diretor que futuramente iria dirigir outros filmes de super-herói, (Homem de Aço e Batman VS. Superman) tem em Watchmen uma ótima ambientação, ele sabe usar a censura um pouco mais alta para que as cenas de ação, nudez e violência sejam importante para a história que o filme quer contar. Aliás, uma história com muitas reflexões morais e conflitos existencialistas, tudo muito bem feito e organizado, conjuntamente a ambientação temporal em que o filme se passa. O filme também conta com personagens muito bons e atores em trabalhos inspirados.

8 – DEADPOOL (2016) Deadpool - 8
Diretor: Tim Miller
Junte os elementos a seguir: um “gênero” cinematográfico já estabelecido, e então adicione muita coragem e temos Deadpool. O ator Ryan Reynolds se apresenta aqui como se de fato fosse o Deadpool, a afinidade de roteiro, atuação e personagem é tão grande que é essa a sensação que temos. O filme traz um humor completamente subversivo ao até então apresentado no gênero, usando de muitos artifícios para tal objetivo, até mesmo a quebra da quarta parede. O pouco orçamento do filme, comparado aos seus concorrentes deixa essa obra cinematográfica ainda mais interessante, já que até isso é levado em consideração no roteiro. Há um entendimento total, de direção, atores e roteiro sobre qual material eles estavam trabalhando.

7 – KICK-ASS (2010) kick-ass - 7
Diretor: Matthew Vaughn
A melhor descrição que eu já vi alguém fazer sobre Kick-Ass se resume em apenas três palavras: Debochado, violento e divertido. O enredo do filme em si parece algo completamente sem pé, nem cabeça, como assim um adolescente esquisito (Kick-Ass) que escolheu ser herói, uma menina de 11 anos que comete assassinatos (Hit Girl) ao lado do seu pai (Big Daddy), também assassino, pode dar certo? Não é que deu? O filme é ácido nos seu humor e principalmente em seus diálogos. São muitas paródias sobre heróis tradicionais como Batman e Homem-Aranha, além de contar com inúmeras referências sobre a cultura pop. O roteiro completamente descompromissado com algo a mais do que apenas divertir, fazem desse filme uma ótima comédia de super-herói e digno do sétimo lugar da lista.

6 – CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL (2016) Guerra Civil - 6 %5b
Diretor: Anthony Russo e Joe Russo
Esse filme paradoxalmente é muito engraçado, talvez o mais engraçado do Universo Cinematográfico da Marvel, porém é o marco do amadurecimento das produções do estúdio para o cinema. O longa une na mesma história Capitão América (dono do filme), Homem de Ferro e Homem-Aranha, talvez hoje os principais heróis da editora estadunidense, portanto falamos de um filme de altíssima responsabilidade. E que cumpre seu papel, a idéia de por vários heróis lutando entre si é atrativa desde os primórdios das HQ’s, e esse filme executa como brilhantismo tal façanha, mesmo que tenhamos que ignorar lógicas físicas para assimilar o roteiro. As apresentações de novos personagens soam naturais e roubam a cena, o humor muito afiado, a ação muito bem coreografada e a cumplicidade entre os heróis fazem muitos chamarem Guerra Civil de “Vingadores 2.5”, o que não é verdade absoluta, já que a trama circula em torno do dono da festa, o Capitão América.

5 – HOMEM ARANHA 2 (2004)homem-aranha 2 - 5
Diretor: Sam Raimi
Para muitos fãs do cabeça de teia esse é o melhor filme de todos os tempos, sobre o herói aracnídeo (pelo menos por enquanto, em 2017 estréia Spider-Man:Homecoming). Primeiro por que conta, para mim, com um ótimo vilão, que demonstra certa loucura e uma motivação avassaladora que não o fará parar, também o fato de herói e vilão terem basicamente o mesmo nível de força, deixando as cenas de ação mais palatáveis aos expectadores. O humor é outra tática utilizada pelo seu diretor, ele flutua entre as tensas cenas de ação, não sendo pausas obrigatórias para uma piadinha, mas funciona naturalmente quase que organicamente. Em uma época onde não havia tantos outros filmes de super-heróis, Homem-Aranha 2 preparou o terreno para futuras produção do gênero, portanto vale o quinto lugar.

4 – CAPITÃO AMÉRICA: SOLDADO INVERNAL (2014)O soldado invernal - 4
Diretor: Anthony Russo e Joe Russo
O Soldado Invernal é o primeiro filme solo do UCM (Universo Cinematográfico da Marvel) em que temos a real noção de que estamos tratando de um universo compartilhado, mais complexo e conectado do que em Homem de Ferro por exemplo. Somos apresentados a inúmeros personagens nesse filme, todos ligados ao passado da SHIELD, mas não nos sentimos perdidos na narrativa e no desenvolvimento da história. Os irmãos Russo nos trazem uma ação policial, são muitas perseguições, tiroteios e cenas de luta, que, aliás, são otimamente feitas e produzidas. O ritmo do filme nos deixa sem fôlego, o carisma dos protagonistas e a profundidade dos acontecimentos e suas possíveis conseqüências dão o tom certo ao nosso quarto colocado da lista.

3 – OS VINGADORES (2012) Os vingadores - 3
Diretor: Joss Whedon
Temos em “The Avengers” a melhor e mais completa interação de heróis que o cinema já viu. O filme pode basicamente se resumir ao recrutamento dos heróis, a união deles, a aparição de uma grande ameaça, a união deles, ao combate a essa ameaça e ai essa ameaça por algum fator qualquer multiplica a sua potencialidade de destruição. Enredo esse que pode ser retirado de um episódio qualquer de Power Rangers, a diferença aqui é que todos os heróis já haviam sido apresentados ao público em seus filmes solos, então há pouco tempo gasto em apresentações, o filme migra de sua introdução para a ação com muita fluidez. Além disso, o filme mescla muito bem ação e humor, marca registrada da Marvel nos cinemas. A batalha final, ambientada em Nova Iorque fecha com chave de ouro a grandeza que esse filme tem para a Marvel.

2 – GUARDIÕES DA GALÁXIA (2014)Guardiões da galáxia
Diretor: James Gunn
Já estávamos acostumados a equipes de heróis no cinema, porém Guardiões da Galáxia subverte qualquer lógica antes apresentada no cinema. É a união de um humano, dois seres de outros planetas, uma árvore e um guaxinim. A reação mais óbvia seria a rejeição do público, mas o carisma dos personagens, a forma de como a “fórmula Marvel” é elevado a sua máxima potência, é sensacional, temos o melhor humor apresentado em filmes de super-heróis, é a mistura de um filme de ação, de comédia com elementos de romance e filme de assalto. Os efeitos especiais magníficos dão o tom de realidade que poderia faltar na produção. Temos também uma trilha sonora não só muito boa, mas que é parte atuante da história do nosso protagonista, são muitos sucessos dos Anos 80. Enfim, nada até agora foi igual ao que Guardiões da Galáxia nos apresentou, por isso a vice colocação no TOP 10.

1 – BATMAN – O CAVALEIRO DAS TREVAS (2008)batman primeiro
Diretor: Christopher Nolan
Uma das maiores afirmações que eu faço quando me perguntam sobre esse filme, é que nele temos o melhor vilão de todos os tempos. Em minha opinião não o melhor vilão de filme de super-heróis, mas o melhor vilão da história do cinema. Cavaleiro das trevas conta com o Coringa como vilão, somos presenteados com uma atuação irretocável de Heath Ledger, que lhe gerou o Oscar póstumo, já que o ator faleceu aos 28 anos de idade, antes mesmo da cerimônia de premiação. A direção afiada e precisa de Nolan, o uso de efeitos práticos e a realização de muitas cenas em que limite entre o comum e o chocante era muito tênue, além também de um roteiro em que exaltava as qualidades de todos os personagens e faziam com que suas interações fossem memoráveis. O fato do filme não parecer um filme de super-herói também eleva consideravelmente sua qualidade e o seu alcance de público, há questões abordadas que vão muito além de combate ao crime. Por essas inúmeras qualidades que considero “The Dark Knight” o campeão da nossa lista.

E ai? Gostaram? Deixem nos comentários as suas listas, concordam ou discordam? Lembre-se o intuito aqui é se divertir e debater sobre cinema, nada de guerrinhas ou picuinhas.

Cinema

DJ Amorim vive filho do comediante Paulo Mathias Jr em sua estreia no cinema

Published

on

O elenco de “Os Espetaculares” também conta com Rafael Portugal, Luísa Perissé e Victor Meyniel

O carioca DJ Amorim, de 13 anos faz sua estreia no cinema no filme “Os Espetaculares”, uma comédia com Rafael Portugal e Paulo Mathias Jr. O filme acompanha um grupo de comediantes que precisa ganhar um concurso e tenta se afirmar no mercado dos espetáculos, revelando os bastidores do stand-up. Na trama, Ed Lima (Paulo Mathias Jr.) é um egocêntrico comediante de stand up que tem uma amorosa relação com o filho de 12 anos (o estreante DJ Amorim). Em cena, tem ainda uma jovem nerd que conta “piadas intelectuais” (Luísa Perissé), e o divertido, mas lunático, atendente de uma padaria (Victor Meyniel). “Os Espetaculares” chegou ao streaming (Apple TV, Now, Google Play, Youtube, Vivo Play e Sky Play). DJ Amorim, nome artístico escolhido pelo menino Deivis Júnior estará na próxima novela das 6 da Rede Globo, “Nos Tempos do Imperador”, adiada por conta da pandemia da Covid-19. O menino, que também é dublador e dançarino, já soma diversos trabalhos na TV e no teatro. Em “Jesus” novela da TV Record viveu Simão Zelote e participou da produção “O Rico e Lárazo”, também da emissora. Além das séries “Renascidos”, “Impuros” e “Bom Dia, Verônica”, que tem previsão de estreia na Netflix em outubro. Um garoto tranquilo e dedicado ao que faz, DJ Amorim se diz muito apaixonado pela atuação e pela dança, onde se especializa em hip hop, ballet clássico e sapateado.
Assessoria: 12ML comunicação

Continue Reading

Cinema

Camila Curty protagoniza série internacional “La Llamada”

Published

on

Dentro de todos os projetos de quarentena estrelados, a atriz Camila Curty foi convidada para participar de uma série internacional com atores do mundo todo. “La Llamada”, do diretor mexicano Octavio Maya Rocha, narra a história de personagens ao redor do mundo, diretamente relacionados à pandemia do COVID-19. Todos os episódios foram gravados por chamada de vídeo e tratam de cenários e assuntos muito importantes.

Com atores do Japão, Rússia, Nova York, Bolívia, entre outros, Camila é quem representa o Brasil na série. Sua personagem Sophia Queiroz, é uma antropóloga brasileira que tenta fazer contato com o companheiro de trabalho para dar a notícia de que o outro companheiro de ambos havia morrido e que as comunidades indígenas do Amazonas estão infectadas.

O convite para interpretar Sophia surgiu e Camila aceitou prontamente. “Octavio Maya estava dando início ao projeto com atores de todo mundo e Claudia Eid, diretora boliviana e grande amiga, me indicou quando ele começou a procurar uma atriz que representasse o Brasil. Octavio entrou em contato comigo e eu adorei o projeto, é muito a minha cara. Topei na hora”, afirma Camila. A atriz ainda revela o quão especial é para ela ser a única representante brasileira no projeto. “É muito especial para mim estar em um projeto que eu acredito e me identifico tanto, podendo ser a voz do Brasil em uma série que se passa no mundo inteiro”, completa.

Camila protagoniza o episódio do qual participa, uma vez que os episódios são independentes uns dos outros. A abordagem do cenário brasileiro na trama, trata diretamente de assuntos políticos que assolam o país desde o início da pandemia, como a omissão do governo frente ao caos. Ao fim do episódio, é feita ainda uma relação entre a situação brasileira e boliviana, o que o torna ainda um divisor de águas para a série.

Pôster de “La Llamada”

Em uma série exibida em todo mundo, o texto que trás toda a indiferença que o povo brasileiro enfrenta, torna-se uma documentação do que está acontecendo em um momento que entrará para os livros de história futuros. Além de entretenimento, “La Llamada” ganha uma importância ainda maior.

“Como é uma série internacional e que abrange uma área tão grande (já que envolve vários países), falar sobre a situação atual do Brasil na pandemia, sobre a situação da Amazônia, é como registrar um documento histórico, já que é uma história totalmente baseada em fatos reais. Acredito no poder que a arte tem de comunicar, denunciar e abrir os olhos que estão fechados. Poder ser porta voz desse assunto, que mexe tanto comigo, é muito importante pra mim” relata Camila.

A série foi inteiramente gravada por meio de chamadas de vídeos com os atores de outras nacionalidades e dirigida por Octavio Maya. O modelo que tem sido muito utilizado em produções audiovisuais por todo o mundo durante o isolamento social. E, além do episódio interpretado por Camila, toda a série é repleta de simbologias e mitos, servindo também como denúncia para situações reais que estão acontecendo no mundo durante todo o período de pandemia.

Para Camila, a produção de “La Llamada” aconteceu estando diretamente em contato com Octavio. O diretor em chamada de vídeo no México com a atriz no Brasil, produziu todo o episódio, que foi gravado dentro da casa de Camila.

“Octavio e eu produzimos tudo por vídeo chamada, ele no México e eu no Brasil. Trocamos vários áudios, evoluímos para o vídeo e tudo aconteceu assim. O Octavio desenvolve um movimento no cinema chamado MetaCine, que é a reinterpretação do que você pode ver na realidade e ele é super ligado na tecnologia. Casou perfeitamente com a produção do projeto, já que o episódio foi gravado na minha casa mesmo, pelo meu celular”, conta Camila.

E sendo produção de caráter realístico dentro de uma trama muito bem construída e, acima de tudo, sendo o primeiro projeto internacional da atriz, “La Llamada” já conquistou um espaço especial na carreira de Camila.

“É a primeira vez que faço parte de um projeto internacional e é um projeto a minha cara. Me identifico muito enquanto artista com essa pegada realista, documental e política. É especial demais estar trabalhando em um projeto tão grande e com pessoas tão talentosas e generosas. E é ainda mais especial acreditar nesse projeto”, conclui.

Continue Reading

Cinema

Série “The Stripper” é exibida hoje no Fest Cine Pedra Azul

Published

on

E foi dada a largada para o Fest Cine Pedra Azul. Vivendo ainda a pandemia que afetou todo o país, o festival internacional de cinema precisou adaptar a programação para a versão digital, exibindo as mostras pelo site oficial. “The Stripper”, que conta com o ator Rodrigo Tardelli integrando o elenco, concorre ao festival e será exibido hoje Fest Cine Pedra Azul.

A trama foi indicada na categoria “Webséries” no festival internacional de cinema que decidiu abrir neste ano um espaço especial para as produções voltadas para internet. “The Stripper” concorre com mais oito produções. A série é da Ponto Ação Produções, produtora de conteúdo independente do ator em sociedade com as atrizes Priscilla Pugliese e Natalie Smith.

O ator ainda comenta sobre a expectativa para o festival. “As expectativas são as melhores. Demos toda nossa energia a The Stripper e agradeço muito ao Fest Cine Pedra Azul por ser o primeiro festival a abrir espaço para essa série”, afirma Tardelli.

Também ficou com vontade de assistir “The Stripper” no Fest Cine Pedra Azul? Basta clicar AQUI e preparar a pipoca. As exibições começam hoje, a partir das 20h!

Confira o trailer de “The Stripper” para já se preparar para a exibição:

Continue Reading

Trending

Copyright © 2017 Geração Z. Theme by Mega Group. powered by Rafael Nascimento.

Close Bitnami banner
Bitnami